Laboratório da Universidade terá recursos municipais para custear exames à população.

 

 

Laboratório da Universidade terá recursos municipais para custear exames à população

 

O Laboratório de Imunologia e Biologia Molecular da UFBA (Labimuno), localizado no Instituto de Ciências da Saúde (ICS), no Vale do Canela, receberá um investimento de cerca de 6,5 milhões de reais por ano da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), para a realização de procedimentos especializados. O repasse será feito através de um convênio entre a Universidade Federal da Bahia e a Prefeitura de Salvador, firmado no dia 20 de dezembro do ano passado, visando a assegurar a oferta de diversos exames laboratoriais gratuitos para moradores da capital, contribuindo com a ampliação da rede de atendimento e diagnóstico.

 

Procedimentos de hematologia, bioquímica, urinálise, parasitologia, imunodiagnóstico, imunofenotipagem, triagem pré-natal e oncogenética estão entre os serviços que serão oferecidos através do Sistema Único de Saúde (SUS). O convênio “tem por objetivo integrar a instituição conveniada no Sistema Único de Saúde (SUS) e definir a sua inserção na rede regionalizada de ações se serviços de saúde, visando à garantia da atenção integral à saúde dos munícipes”, destaca o documento.

 

 O coordenador do Labimuno, professor Roberto Meyer, do ICS, que também é   superintendente do Sistema Universitário de Saúde da UFBA (Siunis), explica que o   laboratório, criado em 1982, firmou seu primeiro convênio com SUS em 1992. A partir de   2005, com a determinação legal que passou a gestão SUS da esfera estadual para a   municipal,  a unidade passou a ser credenciada junto à prefeitura de Salvador para a oferta   de exames. “Agora, firmamos um convênio com a inclusão de vários novos exames, definição   de metas quantitativas e qualitativas, e a criação de comissões para avaliar a prestação dos   serviços”, acrescenta.

 

  O acesso aos procedimentos contratados será através de agendamentos realizados pela rede   municipal e/ ou fluxos definidos pela Gerência Executiva de Regulação (GER), por meio do   sistema de informação definido pela SMS, ressalvadas situações de emergência. Será   assegurada a gratuidade das ações e dos serviços de saúde realizados no âmbito deste   convênio aos usuários SUS. O prazo de vigência do convênio será de 12 meses, podendo ser   renovado por igual período, até o prazo máximo de 60 meses.

 

O Laboratório do ICS oferece mais de 150 tipos de exames, entre dosagens de hormônios, marcadores tumorais, drogas contra rejeição de transplantes, sorologia para as principais doenças infecto-contagiosas, diagnóstico de síndromes e doenças raras, imunofenotipagem de hemopatias malignas, e detecção de mutações relacionadas com o câncer. No ano de 2018, foram realizados mais de 915 mil testes na unidade laboratorial.

 

 Roberto Meyer lembra que o Labimuno foi pioneiro nos estudos de mutações relacionadas ao   câncer. Foi também o primeiro no Norte/Nordeste do país a prestar o serviço de     imunofenotipagem para diagnóstico de leucemia e linfoma, e de quantificação de células-   tronco hematopoéticas para o transplante de medula óssea.

 

 O Laboratório contribui junto aos programas de pós-graduação do ICS enquanto campo de   pesquisa e centro de formação de recursos humanos, no nível técnico e de pesquisadores,   conforme explica o seu coordenador. Além disso, ele ressalta a importância da oferta de   exames especializados que normalmente não são oferecidos na rede pública. “O acesso aos   exames, desde os mais simples aos mais complexos, repercute em melhorias para a saúde   pública e para a qualidade de vida dos pacientes”, avalia o professor.

 

 

 

Exames realizados

 Através do Convênio, serão ofertados exames nas seguintes áreas:

Imunodiagnóstico – utilizado para detectar anticorpos contra parasitas, fungos, bactérias, vírus, indicando a presença de uma resposta imune contra o agente específico.

Imunofenotipagem – técnica utilizada para identificar qual o tipo exato de célula que compõe um determinado tecido, quando há dúvida diagnóstica na análise de biópsias.

Oncogenética – área da medicina que atua na análise de mutações gênicas e na identificação de pacientes com risco aumentado para desenvolvimento de câncer, fundamental para a prevenção e diagnóstico precoce.

Hematologia – tem a função de estudar todos componentes relacionados ao sangue e aos órgãos onde o sangue é produzido, como a medula óssea, gânglios linfáticos e o baço. É responsável por diagnosticar e tratar das doenças do sangue.

Bioquímica – estudo dos processos químicos que ocorrem nos organismos vivos, analisando a estrutura molecular e função metabólica de proteínas, enzimas, carboidratos, lipídios, ácidos nucleicos, etc.

Uranálise – grupo de exames químicos e microscópicos para análise da urina com fins de diagnóstico ou prognóstico de estados fisiológicos ou patológicos. Detecta produtos normais e anormais do metabolismo, células, fragmentos de células e bactérias na urina, e pode ser necessário na avaliação de distúrbios renais e urinários.

Triagem pré-natal – integra dados ultra-sonográficos, informações clínico-obstétricas e exames laboratoriais. É fundamental para garantir o bom acompanhamento de mãe e bebê. Permite a detecção e o tratamento de doenças transmissíveis como Sífilis, HIV-Aids, Toxoplasmose e Hepatite B.

Parasitologia – estuda os parasitas, as doenças parasitárias humanas, seus métodos de diagnóstico e controle.

 

Fonte: EDGARDIGITAL http://www.edgardigital.ufba.br/?p=15882

 

Imagem: